terça-feira, 18 de novembro de 2008

41º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

N° 27 de Marcelo Lordello concorre na categoria Curtas e médias 35mm


Acessibilidade para todos
A 41ª edição do Festival Brasileiro de Cinema de Brasília (FCBC) abre espaço para a acessibilidade. Pelo segundo ano consecutivo os deficientes visuais participarão da mostra com o auxílio de aparelhos de audiodescrição. Além disso, pela primeira vez, formarão um júri e escolherão o melhor filme, segundo sua percepção. Para contemplar a escolha, um prêmio paralelo, que recebeu o nome de Vagalume, será conferido a melhor produção. Ao todo, 50 aparelhos de audiodescrição serão destinados aos portadores de necessidades especiais. Enquanto os filmes são exibidos, os deficientes visuais acompanharão a película por meio de uma narração, seguida pela descrição de cada cena. Mas as mudanças voltadas à acessibilidade começam ainda a caminho do Cine Brasília. Para facilitar o acesso de quem depende de ônibus, durante rodos os dias serão disponibilizados veículos que partirão às 18h30 da plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto. Dentro do cinema, serão conduzidos a um espaço reservado, onde serão acomodados.

Prêmio Vagalume
O prêmio Vagalume é voltado aos deficientes visuais que prestigiam o evento. Após cada exibição, os expectadores poderão emitir sua opinião sobre as produções. Para pontuar a participação, um troféu, criado pelo grupo Arts Táteis, formado por cegos, foi confeccionado e será entregue a melhor película. O nome do prêmio foi escolhido em alusão ao inseto que só aparece no escuro, tal como as produções cinematográficas. "Cinema para cegos" Criado a partir das experiências vividas na 40ª edição do FBCB, o livro

Cinema Para Cegos”
conta as histórias e experiências de expectadores que acompanharam a mostra em 2007. A obra deve ser lançada no encerramento do Festival e será apresentada em três versões: tinta, braille e com CD áudio descritivo.

Filmes legendados
Mas as adaptações não vão apenas para os cegos. Acompanhar o Festival para os deficientes auditivos também ficará mais fácil. Atendendo as reivindicações de anos anteriores, 18 produções foram legendadas, assegurando a todos os expectadores direitos iguais no acesso à cultura. A iniciativa teve adesão de 98% dos cineastas inscritos nas mostras.

Saiba tudo sobre o festival no site oficial do evento, click: http://www.sc.df.gov.br/festival/

Um comentário:

Kátia Campos disse...

freckTô gostando de tudo aqui.

Se puder, assista ao documentário brasileiro Janelas da Alma: sensacional. Inclusive Evgen Bavcar (fotógrafo cego) tem uma participação.

Acredite: fiquei "me achando" com suas palavras a respeito de minhas fotos, rs.

Abração procê.